Hoje o Dublinando faz um tour pelos micropaíses da Europa, contando um pouquinho da minha experiência ao visitar cada um deles!

Mônaco, um dos menores países do mundo e também um dos mais ricos! A densidade demográfica desse país também fica no topo da lista. Mônaco é famoso pela Fórmula 1 e pelo paraíso fiscal. Com belíssimas praias, esse micropaís de 4 km de uma ponta à outra, da França a Itália, é facilmente acessado a partir de Nice, na França. Há uma linha de ônibus número 100, que sai do Porto de Nice e te deixa em Monte Carlo (capital de Mônaco), por apenas 1.5 euros. Também existe a opção de trem. Ambos vão pela costa e o caminho é lindíssimo. A moeda é o euro e a língua oficial é o Francês. Não existe controle migratório de entrada e saída.

 

Liechtenstein, esse país de nome estranho fica entre a Suíça e a Áustria e o acesso não é muito fácil. Voamos para Zurique, alugamos um carro e dirigimos até o sul da Alemanha, descendo em direção a Vaduz, capital de Liechtenstein. A cidade é super pequena, em 3 horas foi possível visitar o centro e subir até o castelo de Vaduz. A cultura do país é muito parecida com a da Suíça, inclusive a língua oficial é o alemão e a moeda é o Franco Suíço. Liechtenstein também é um paraíso fiscal e não conta com controle migratório de fronteira, porém, é possível comprar um carimbo no passaporte no escritório de informações turísticas de Vaduz. Confira aqui http://contandoashoras.com/tag/como-ir-ate-o-liechtenstein/ como chegar de transporte público.

  

São Marino, escondidinho lá no meio da Itália, também é famoso pela fórmula 1 (o acidente do Senna aconteceu no GP de São Marino). O jeito mais fácil de chegar a São Marino de transporte público é pegar um trem até Rimini, e de lá, um ônibus exclusivo para São Marino. O país fica no alto de uma montanha e é muito charmoso, ruelas medievais com vários restaurantes e lojinhas de souvenir. As maiores atrações do país são as torres das fortalezas e o teleférico. Infelizmente, o teleférico estava em manutenção quando eu estive lá. Da mesma forma que Liechtenstein, você pode comprar um carimbo turístico no passaporte, nas informações turísticas. O idioma oficial é o Italiano e a moeda é o euro.

  

Andorra, aquele pontinho no mapa entre Espanha e França. Andorra também é famoso por ser um paraíso fiscal e área livre de impostos, por não fazer parte da União Europeia,  fazendo com que a maioria das compras por lá seja também livre de imposto, o que torna um grande atrativo para o país. Eu cheguei a Andorra de ônibus a partir de Barcelona, pela Alsa.es. Apesar de não ter controle migratório, existe uma fronteira com verificação de passaportes. No ônibus em que eu estava, o oficial entrou com um cachorro para fazer vistoria. Andorra la Vella é a capital, mas não conta com muitos atrativos, o que eu mais gostei foi do Centro Antigo, da Casa de la Vall e a Plaça del Poble. O idioma oficial é o Catalão e a moeda é o euro.

Luxemburgo, nem tão pequeno assim, Luxemburgo é um país que
faz parte da União Europeia e fica entre Bélgica, França e Alemanha. Para chegar lá, eu aluguei um carro em Bruxelas, mas voando para o aeroporto de Charleroi, você consegue chegar facilmente a Cidade de Luxemburgo, a capital. O centro histórico é muito simpático e calmo. A cidade conta com 3 pubs (alguma semelhança com Dublin?). O cemitério (memorial americano) e a Casemates du Bock (fortaleza que você pode caminhar dentro das muralhas) são 2 das principais atrações da cidade e minhas favoritas. Não deixe de visitar a “Chocolate House”, que é um café bem famoso por lá, e tomar um delicioso chocolate quente no palito. A moeda é o euro e os idiomas são o luxemburguês, o alemão e o francês.

   

Vaticano, muito conhecido entre os brasileiros, o Vaticano não é reconhecido pela ONU como um país. Porém, aquele pedaço murado no meio de Roma não faz parte da Itália, e é controlado pela Igreja Católica. A moeda também é o euro e o idioma oficial é o Italiano.

Revisado por Paula Machado em 02/06/2016