Istambul, para quem pensou: capital da Turquia, errou! Istambul é a maior cidade da Turquia, mas não é a capital, que é Ancara.

O mais interessante de Istambul é que ela é a única cidade no mundo dividida em dois continentes. Istambul fica na Europa e na Ásia ao mesmo tempo. O mar Mármara e o estreito de Bósforo separam o lado asiático do europeu. A ligação entre Europa e Ásia é feita por duas belíssimas pontes pênseis.

 

A ideia de conhecer Istambul surgiu, novamente, do famoso stopover (leia mais sobre stopover aqui). A Turkish airlines oferece stopover gratuitamente no seu hub (Istambul). Para quem não sabe, a Turkish airlines já foi eleita, inúmeras vezes, como a melhor companhia aérea da Europa.

Em Istambul, obviamente, existem diversidades culturais entre os dois lados. Eu tive uma pequena experiência no lado asiático, mas é sabido que o lado europeu é mais rico e desenvolvido. Nenhum guia ou informação turística que eu tinha consultado disse para conhecer o lado asiático. Mas claro, eu tinha de pisar na Ásia pela primeira vez, então fiz um day tour por lá. Existem algumas opções para ir ao outro continente de balsa, barco, ônibus, etc., optei pela balsa, que é o que os turcos mais usam. Nessa altura eu já tinha um Istambul card (tipo um Leap Card irlandês), que lá também é aceito nas balsas. Atravessei o estreito de Bósforo chegando na Ásia. Fascinado por pontes, resolvi caminhar da estação da balsa até a ponte, levei umas duas horas. Porém, quando cheguei na ponte, descobri que a travessia a pé não é permitida. Frustrado, peguei um ônibus de volta à Europa.

Istambul é multi-cultural, a religião predominante é o Islamismo e é comum ver homens rezando na rua a todo o tempo, com uma espécie de terço. Existem mesquitas espalhadas por toda a cidade, inclusive em aeroportos, shoppings, etc. No Islamismo, somente homens podem rezar em público. Para as mulheres, há um espaço reservado nas mesquitas para rezarem (algumas nem isso).

O que comer e beber? A culinária turca é super diversificada, especialmente nos doces, os famosos Turkish Delicatessen. Experimente quantos você conseguir, tem pra vender em toda a parte. Quanto aos salgados, você tem de provar o kebab (kebap em turco). Diz a lenda que os vegetais são cozidos em um pote de barro e depois o pote é quebrado, fazendo cada kebab ser único. Experimente também o lahmacun (pizza turca) e o kebab no pão (com churrasco grego de cordeiro ou frango). O cachorro quente turco também é conhecido, mas esse eu confesso que não gostei muito.
Quanto às bebidas, duas coisas são interessantes: o suco de Romã (Nar em turco) e os chás turcos. O chá (çay em turco) é uma cultura super interessante, o turcos tomam muito chá o tempo todo, e o chá sempre é servido em um copinho de vidro em formato de tulipa, é padrão, seu chá turco sempre virá assim.

O que visitar? Grande Bazar – melhor que muito shopping center por aí, mais de 3000 mil lojas e 60 ruas, ideal para comprar cerâmica, jóias e tapetes persas. Caso queira uma completa experiência turca, você precisa barganhar com os turcos, você só sai de uma loja sem o produto se você tiver super convencido a não comprar. Duas experiências interessantes: a primeira, fui comprar um tapete pra levar de lembrança da Turquia, começamos a negociar por 400 liras, terminamos fechando o negócio por 10 liras, não o mesmo de 400, mas um bem parecido; a segunda, fui comprar uma mala, estava negociando com um menino de uns 12 anos, em inglês com ele e ele em turco com o pai, interessante como a cultura de negociador começa cedo e passa de geração em geração.
Outros lugares que você tem de visitar são a Mesquita Azul e a Basílica de Santa Sofia. A Mesquita Azul é possível visitar gratuitamente, desde que não seja horário de oração. Você tem de tirar os calçados para entrar e as mulheres precisam cobrir o cabelo. Na Santa Sofia eu não entrei.
Taksim é o bairro dos barzinhos e lojas, parte mais alta e mais badalada da cidade. Fiquei hospedado nesta parte da cidade e recomendo.

 

Transporte, dinheiro e idioma: O transporte público peca um pouco, o metrô é lotado e as linhas são desconexas, onde acaba uma não começa outra e geralmente você tem de caminhar entre uma linha e outra, além de ter de pagar a cada linha. A moeda é a lira, uma lira equivale a pouco menos de um real. O idioma oficial é o Turco, o inglês, embora seja comumente falado, não é tão comum como nas demais cidades europeias.

 

Revisado por Paula Machado em 22/04/2017

Fotos: o autor.