Dez coisas que aprendi morando sozinha em Dublin

Acredito que sair de casa para morar sozinho seja a vontade de muitas pessoas, inclusive era a minha. As razões para mudar podem ser muitas: faculdade, trabalho, casamento, independência, intercâmbio.

Particularmente falando, eu sempre soube que quando chegasse o “grande momento”, algumas dificuldades viriam à tona, mas não tinha ideia do quanto eu aprenderia com isso.

Um mês após me mudar, resolvi fazer essa lista, enumerando tudo que aprendi nesse tempo de experiência.

 

  • A comida não fica pronta sozinha:

No Brasil, eu fazia arroz, macarrão e formas variadas de ovo (frito, mexido, omelete). Mas sempre que eu chegava em casa, a comida estava pronta. E apesar de meus dotes culinários não terem tido um grande avanço ainda, eu percebi que ovo como mistura cansa e viver de macarrão e arroz seco é chato. Então, dei meu jeito de melhorar, ao menos, a minha mistura.

  • Alimentos saudáveis são mais baratos:

No Brasil, minha alimentação não era nenhum pouco exemplar. Apesar de ter em casa tudo pronto para uma refeição adequada, eu evitava tudo o que de fato era saudável. Em Dublin, tive que aprender a comer bem sem exagerar nos gastos, isso me obrigou a olhar com mais carinho para o quilo de legumes congelados que custa pouco mais de um euro, por exemplo.

  • Tudo depende de você:

Nas primeiras semanas, eu estava completamente desacostumada com a necessidade de chegar em casa e ter que preparar algo para comer. Ou sair da escola e ter que passar em mercado. Ou fazer qualquer coisa que fosse tarefa da minha mãe no Brasil. Hoje, faço tudo que tenho que fazer, quase sem perceber porque simplesmente já faz parte da rotina.

  • Roupas não se lavam sozinha:

Lavando roupas

apesar de sempre ter ajudado minha mãe com os serviços domésticos, nunca tinha ligado uma máquina de lavar na vida (eu só desligava mesmo), então quando vi que era o meu dia de utilizar a máquina, fiz dezenas de planos sobre o que lavar primeiro e sobre qual tipo de peças era menos urgente. Descobri que colocar o sabão no lugar específico, girar um botão e apertar “start” não é nenhum bicho de sete cabeças. Provavelmente, por uma questão de sorte, não manchei nenhuma roupa… ainda.

  • Poeira se multiplica em segundos:

mop and bucket

Poeira Acumulada em Segundos

como disse, sempre ajudei minha mãe nas tarefas de casa, então quando mudei, achei que seria a mesma coisa. Grande engano: eu me senti totalmente perdida com os produtos, descobri que não sou nada sem uma vassoura e que aquele esfregão só serve para fins de acabamento. Mas na segunda vez, as coisas funcionaram bem melhor. Exceto pelo fato de que dez segundos depois, o pó começava a se reinstalar na casa.

  • Fazer mercado não é só comprar comida:

descobri que suprir as necessidades semanais e/ou mensais envolve muito mais do que aquela vontade de comer um pedaço de chocolate. Na casa dos meus pais, sempre tinha azeite, sal e alho. E o papel higiênico, o sabonete e a pasta de dente estavam sempre nas gavetas. Aqui, se você não ficar de olho, vai passar apuro.

  • Ficar em casa é um ótimo programa:

Ficar em casa,

Ficar em casa,Sempre uma opção

apesar de conhecer vários lugares e sair quase todo fim de semana, muitas vezes, ficar em casa é o melhor programa. Nem que seja para assistir um filme, deitada na cama, debaixo de um bom edredom e com o notebook no colo.

  • Sua própria bagunça te incomoda:

"Major Mess" by Trista B

“Major Mess” by Trista B

mesmo que não seja um exemplo de organização, em muitos momentos, você olhará para o seu canto da casa e dirá a si mesmo: ok, preciso dar um jeito isso.

  • Economia se torna uma lei:

Economizando By  Chris Potter

Economizando By Chris Potter

você não precisa passar vontade de nada, mas também não pode querer tudo. Você aprende a diferenciar necessidade de luxo, estabelecendo, assim, suas prioridades. E aquelas três perguntas básicas (você pode comprar isso? Você precisa comprar isso? Tem que ser agora?) farão parte do seu cotidiano, mesmo quando o custo do item for baixo. Por quê? No dia do vencimento do aluguel e contas, você se lembrará disso.

  • Um lugar para chamar de seu:

Quarto de Estudante By Wikipedia

mesmo que as coisas pareçam complicadas no começo, no fim das contas tudo se torna uma questão de adaptação e você descobre que sair da casa dos pais foi um dos passos mais importantes da sua vida, porque você se obriga a ter independência e descobre como é bom ter um lugar para chamar de seu. Você deixa de ter uma casa para morar e passa a ter um lar.

Conclusão:

Então, morando sozinho, todos os dias você adquire um aprendizado novo, não apenas em questões práticas, mas principalmente em amadurecimento pessoal. Você muda o ângulo de visão e o sentido todo da sua vida é modificado. É como ver o outro lado da moeda e ouvir o outro lado da história.